O Pronunciamento do Pilar

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Portugal em Qui Ago 18, 2011 1:13 pm

Lisboa perdeu a fé... As forças armadas estavam quase todas do lado dos constitucionalistas. Era sem sombra de dúvida um golpe militar em escala gigante. Apenas a Guarda Real se mantinha fiel ao Regime, com mais alguns fieis soldados que ainda alimentavam as ideias.

O Saudo-Integralismo, tinha provado que esgotou as suas ideias, e não passou mais de uma experiência liberal deturpada.

Ainda nem sequer se tinha formado a linha defensiva em torno de Lisboa. O Marquês de Alorna, o novo Secretário de Estado do Reino, declarou a queda do governo, e El Rei dissolveu as Cortes. Diz-se que quem fez pressão foi o Rei, que finalmente tomou uma posição, considerando que as partes já estavam a incorrer em excessos, e temia que isto se convertesse numa guerra civil.

D. Afonso VIII convoca então Corte Real, e a junta do Porto para formar governo. Nesse mesmo dia tudo parou, o país em bloco... Para ver na televisão e ouvir na rádio, e ver videos na internet do Brigadeiro Corte Real a proclamar da varanda do Palácio de São Bento a restauração da Constituição de 1822 perante uma massa enorme de militares histéricos, acompanhada de "Vivas á Constituição!" "Vivas a El Rei" e "Vivas a Corte Real"...

Findava assim o realismo em Portugal, para entrar de novo no Liberalismo radical. Um passo violento, que prometia reformas violentas e a agressão directa com Espanha.

Tirando alguns estragos no Porto, o país não tinha sofrido muito. E estava em condições de resistir. Agora restava Espanha...

Os Carlistas em atitude inédita, e de ousadia, declaram D. Juan de Bourbón-Parma seu monarca. Escândalo generalizado em Espanha, e manobra de revenchismo muito mal programada. Apenas conseguiram captar o apoio da Falange Espanhola. Meramente conseguiram uma coligação da Extrema-Direita com a Direita Ultra-Montana para a "Libertação de Portugal".


De Lisboa, o novo executivo Liberal repudiou as atitudes em Espanha, e declarou guerra a Espanha literalmente. O General Santa Anna, e Ribadavia colocaram-se do lado de Lisboa, assim como a Galiza, a Catalunha, Astúrias, Navarra e o País Basco. Apenas Castela e Leão, e Andaluzia estão por Madrid, e a Andaluzia, tem Cadiz tomanda pelas forças navais de Ribadavia, perdendo Madrid todos os portos Atlânticos.

Lisboa emite um comunicado a Constantinopla, para que os Lapálios fechem o Canal do Suez aos Carlistas. Outro pedido vindo de Lisboa, e da Junta de Vigo que lidera a rebelião liberal espanhola, pede a Spkmy para não fechar as fronteiras.


No Perú, Medina Sidónia é subornado... Agradou-lhe a proposta, e o velho generalão espanhol colocou-se do lado de Santa Anna e Ribadavia, proclamando em Potosi, a Constituição de Cádiz.

_________________
avatar
Portugal

Número de Mensagens : 3627
Capital : Lisboa/Madrid
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Sua Alteza Real D. Afonso VIII de Portugal, XIV das Espanhas
Data de inscrição : 18/01/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Britannia em Qui Ago 18, 2011 8:16 pm

A câmara dos lordes reconhece o novo regime Português, apesar de ainda faltar o cunho do Primeiro-Ministro para tal facto ser completamente oficial. No entanto com o reconhecimento oficial, a armada Britânica na região coloca-se ao serviço das forças Portuguesas a fim de apoiar o governo legitimo da península Ibérica. A maioria dos marinheiros estão a participar a contragosto na operação, visto que já se discute a invasão do Brasil, e já se grita "Para o Brasil, E EM FORÇA!".

Em Lisboa o embaixador garante a Corte-Real o apoio do Império ao novo regime, muito a contragosto no entanto visto que é um Tory convicto. Já começou a fazer as malas porque sabe perfeitamente que irá ser purgado à primeira oportunidade.

O Império começa a perder interesse em Portugal rapidamente, o novo estado já se está a formar, e é provável que as relações intra-atlânticas se mantenham normais.
avatar
Britannia

Número de Mensagens : 7778
Idade : 29
Capital : Camelot
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Interregno
Data de inscrição : 31/07/2008

Ver perfil do usuário http://www.nationstates.net/greenaldia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Lapália em Qui Ago 18, 2011 10:10 pm

Portugal escreveu:Lisboa emite um comunicado a Constantinopla, para que os Lapálios fechem o Canal do Suez aos Carlistas. Outro pedido vindo de Lisboa, e da Junta de Vigo que lidera a rebelião liberal espanhola, pede a Spkmy para não fechar as fronteiras.

ooc: Aquilo tinha ficado para Omaha, ele entretanto nunca mais apareceu...
avatar
Lapália

Número de Mensagens : 1043
Data de inscrição : 23/10/2009

Ver perfil do usuário http://www.nationstates.net/nation=estados_cruzados

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Athaulphia em Sex Ago 19, 2011 6:50 am

O embaixador athaúlphico em Lisboa telefona a Corte Real para comunicar-lhe o seu reconhecimento. Athaulphia não tem um embaixador separado para Espanha (como nenhum país) e não reconhece o governo carlista de Madrid.

Quanto à população, a vitória dos liberais portugueses é celebrada pelos numerosos apoiantes que têm em Athaulphia. Os voluntários e doações começam a canalizarse para a junta liberal de Vigo (embora os voluntários continuem a enlistar-se via Brasil). Alguns comentaristas de tendência nacionalista propõem ao novo régime português a restauração do Reino da Galiza, como entidade separada do Reino de Espanha, baixo a Coroa de Lisboa. De facto a proposta completa é não manter um Reino Unido de Espanha e Portugal e passar a um Reino Unido Ibérico formado pelos Reinos de Portugal, Galiza, Catalunha, Euskal Herria e Castela (ou "Espanha Central"), a modo que as distintas nações ibéricas tenham autonomia e soberania ao mesmo nível, baixo a Coroa comum dos Braganças. Isto contribuiria para uma relação directa destes Reinos com o poder central sem passar pela tutela de Madrid (e com ela, a tutela dos carlistas, falangistas, papas de Toledo e demais reaccionários).

_________________
Toda a informação sobre Athaulphia em sua wiki: http://pt.nsportugal.wikia.com/wiki/Athaulphia
avatar
Athaulphia
OCDE

Número de Mensagens : 2086
Capital : Athaulphópolis
Regime Politico : República Democrática Parlamentarista
Chefe de Estado : Presidente Ignacio Noguerol
Data de inscrição : 28/08/2008

Ver perfil do usuário http://www.nationstates.net/athaulphia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Portugal em Sab Ago 20, 2011 2:35 pm

[b]A Junta do Supremo Governo do Reino, começa a tomar novas medidas. Todos os Regimentos de Milicias (tropas 2ª Linha) e as Ordenanças (3 ª Linha) são extintas. Não há pretensões imperiais, basta tropa de 2ª Linha para cumprir as funções necessárias, essa nova força será a Guarda Nacional.

Em Espanha, a ETA coliga-se á Junta de Vigo na esperança do Federalismo...


No entanto os combates desde a queda de Lisboa, acalmaram, em parte pela desmoralização e pela fuga rumo a Madrid, de muitas forças da reacção ao Constitucionalismo.

A vida volta ao normal, com os prós e contras relativamente a tudo... Mas tudo não passa de conversa de café, seja ela nas termas, ou nas praias. O Algarve continua cheio de turistas alemães e britânicos, assim como a Andaluzia.

Apenas na Andaluzia há avanços militares pela costa, de Cadiz até Cartagena, para tentar cercar os Carlistas e cortar o seu acesso ao mar. Mesmo assim nada demove os turistas, pois não há combates quaisqueres, e a entrada de militares parece mais um desfile que outra coisa...

_________________
avatar
Portugal

Número de Mensagens : 3627
Capital : Lisboa/Madrid
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Sua Alteza Real D. Afonso VIII de Portugal, XIV das Espanhas
Data de inscrição : 18/01/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Brasil em Sab Ago 20, 2011 7:45 pm

As tropas de Voluntários e Soldados Brasileiros que eram para desembarcar em Lisboa passarão a desembarcar em Faro, no Algarves.

Um Coronel Brasileiro, o Cel. Caetano Álvares conduzirá essa tropa de 2.000 homens (sendo 1.000 do exército regular e os restantes atuarão como "guerrilhas urbanas") e ao desembarcarem no Faro seguem para Cadiz aonde estará a disposição da Junta de Vigo. O Coronel Caetano Álvares foi responsável da reconquista da cidade de São Paulo das mãos do General Leme, durante a II Guerra Civil.


Portugal escreveu:Junta do Supremo Governo do Reino

Quanto
ao General Santa Anna, não é de nossa competência opinar sobre sua
pessoa, pois é um digno militar ao serviço da Espanha. Quanto ao Marquês
de Ávila, se mantiver a sua honra e dever para com Portugal, talvez as
Cortes consintam que ele aceite a condecoração.

Quanto aos
militares portugueses, é por bem já que a Junta do Supremo Governo do
Reino faz as vezes do Soberano Congresso (Cortes), aceita e agradece tal
honra concedida aos militares portugueses.

Embaixada do Brasil em Lisboa

Neste momento, o Marechal Ávila encontra-se na embaixda pronto para ser entregue ao governo Português.

Ass: O Secretário do Cônsul
avatar
Brasil

Número de Mensagens : 961
Idade : 23
Capital : Brasília (Brasil) e São Paulo (SP)
Regime Politico : Monarquia Constitucional Parlamentar / República Presidencialista Aristocrática (São Paulo)
Chefe de Estado : SMI&R. Imperador Maximilien I do Brasil e de São Paulo
Data de inscrição : 29/09/2010

Ver perfil do usuário http://www.nationstates.net/nation=SPaulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Portugal em Sab Ago 20, 2011 8:46 pm

Foi Corte Real em pessoa buscar Ávila á embaixada brasileira em Lisboa. Não levou escolta, tirando dois soldados da Guarda Nacional de Idanha a Nova, só por formalidade, e porque foram os primeiros a quem deitou mão. Os soldados ficara á porta, enquanto Corte Real entrou...

Pouco tempo depois estava Ávila na rua com Corte Real, comportando-se os dois como cavalheiros. Quando sairam os dois soldados fizeram continencia a Ávila, e acompanharam-nos.

Ávila não iria causar estardalho... Nesse mesmo dia entregou as suas dragonas e espada a Corte Real no seu quartel general, afirmando perante ele que "não mais seria oficial". Corte Real tentou chamar-lo á razão... Depois de duas horas acesas de discussão, em que foi preciso haver a presença do Rei em pessoa, Ávila recalcitou, e voltou a pegar nas dragonas e na sua espada.

Foi colocadoa comandar o "Exército do Brasil" contra a Espanha, ou seja com os soldados que comandava no Brasil.

Espanha treme de medo...

Agora quem resmungava contra o regime era o velho Carmona... Pediu a reforma...

Por seu turno a Junta de Vigo, faz uma aclamação de fidelidade a D. Afonso, aclamando-o como D. Afonso XIV da Espanha, "pela graça de Deus e da Constituição".

_________________
avatar
Portugal

Número de Mensagens : 3627
Capital : Lisboa/Madrid
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Sua Alteza Real D. Afonso VIII de Portugal, XIV das Espanhas
Data de inscrição : 18/01/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Portugal em Sex Ago 26, 2011 4:18 am

Centenas de navios transportam regularmente tropas das colónias para a Península Ibérica. O mesmo acontece com aviões, que fazem escala regular. O objectivo é aniquilar o estado rebelde da Espanha, que declarou "independência" debaixo da égide do Carlismo.

Em Espanha a costa está toda cercada, reveza-se Madrid apenas com o interior, mais concretamente Castela e Leão.

Para a política "imperial" portuguesa, isto pode constituir um problema de difícil solução. O fantasma do "independentismo" espanhol é ressuscitado, desta vez pelos Carlistas. Um golpe de estado gerou uma autêntica guerra de secessão, em que dois monarcas combatem pela mesma coroa, cada um com o seu sistema. D. Juan combate pelo Carlismo, e D. Afonso com a égide do Constitucionalismo, e atrás de si um grande número de reinos de Espanha que sempre foram altamente partidistas de Portugal, como o caso da Catalunha e da Galiza.

Um Batalhão da Guarda Nacional, vindo de Angola, submete a Guiné Equatorial, em poucas horas, fazendo com que essa colónia espanhola em África rapidamente se colocasse do lado da Junta de Vigo, proclamando a Constituição de Cádiz.

Por enquanto há uma recusa em recorrer aos bombardeamentos, espera-se que Madrid caia. Tudo depende da colocação política da chefia militar.

Por outro turno em Espanha, terra de extremos, e de grande indefinição política começa a haver contornos similares ao da Guerra Civil Espanhola que opôs republicanos aos franquistas. Os franquistas, falangistas colocam-se do lado dos Carlistas. Por seu turno o lodo da extrema esquerda foi agitado, começando a ressurgir de novo os anarquistas, comunista e radicais de esquerda. Ambos os lados, quer os Constitucionais de Vigo quer o Governo de Madrid abominam estes extremos de esquerda...

Independentemente de tudo, da agitação política de esquerda, os dois grandes opostos os Constitucionais e os Carlistas defrontam-se frente a frente.

Em Portugal, pela rapidez do processo, que não passou de umas escaramuças mais ao menos violentas, e de uma tomada de posições e ameaças, o país reconstitui-se. Para não "trair" quem acreditou nos constitucionais, os donativos voluntários vindos de todo o mundo, não foram aplicados na guerra contra Espanha, mas sim em reparar danos e nas pessoas que sofreram com os conflitos. Pois no ver da Junta do Supremo Governo Reino, "esses donativos vieram para a paz perpétua, e serão aplicados na paz perpétua."

Lisboa exige a Londres, que pague uma indemnização ao Porto para reparação de danos causados pelo bombardeamento naval, mas avisa desde já que se recusa pagar danos causados nos navios de guerra.




Forças portuguesas marcham sobre uma aldeia espanhola completamente arrasada, a tentativa é chegar a Madrid e fazer cair o Estado Secessionista da Espanha (Carlista)

_________________
avatar
Portugal

Número de Mensagens : 3627
Capital : Lisboa/Madrid
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Sua Alteza Real D. Afonso VIII de Portugal, XIV das Espanhas
Data de inscrição : 18/01/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Omaha em Sex Ago 26, 2011 11:54 am

O Norsefire mantém o seu apoio a D.Afonso e manifesta-o publicamente. Para o Chanceler e o Partido é indiferente o sistema político em Portugal, desde que as boas relações se mantenham.
avatar
Omaha

Número de Mensagens : 234
Capital : Cidade de New London
Regime Politico : Fascismo
Chefe de Estado : Chanceler Peter Hammond-Williams
Data de inscrição : 04/09/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Britannia em Sex Ago 26, 2011 1:01 pm

Camelot lembra oficialmente a Portugal que Londres ainda está sob domínio de SpMky. Mas acede a pagar as reparações que o criminoso de guerra Abbot cometeu. A armada de guerra, renomeada agora como "Grupo de Batalha do Mediterrâneo" ruma a Gibraltar e aguarda novas ordens.

O novo governo entretanto vai deixando a situação Ibérica desenrolar-se, procurando não envolver o estado em mais escândalos, existindo ainda o medo de muitos oficiais da velha guarda se aliarem aos Carlistas. O perigo Tory continua a existir e há que ser eliminado.
avatar
Britannia

Número de Mensagens : 7778
Idade : 29
Capital : Camelot
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Interregno
Data de inscrição : 31/07/2008

Ver perfil do usuário http://www.nationstates.net/greenaldia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Portugal em Ter Ago 30, 2011 6:09 am

O Liberalismo vira Portugal do avesso... Em Lisboa respira-se clima de Revolução. O Conde de Basto, um dos principais vultos do Integralismo está exilado com gente da confiança da Rainha Meredith. Diz-lhes com horror:

"Tudo caiu... Os Jacobinos regressaram... Rezai a Deus para que não haja um novo Napoleão... Ireis desejar um novo Ulrich..."


Um dos britânicos pergunta-lhe porquê...

"Há gente que vos odeia... Há gente... Muita gente..."

O Conde de Basto estava visivelmente perturbado, tremia, e parecia estar a padecer de alguma doença mental. No seu juízo não estava nos melhores dias.

Os Carlistas estão cada vez mais isolados, a Igreja em Espanha, que conseguiu grandes conquistas a nivel de afirmação, e poder espiritual. Sabe que a Constituição de 1812 na sua essência apoia imenso a Igreja Católica. Retira-se para as sombras, na esperança que o novo poder, seja ele Carlista ou Constitucionalista não a ataquem.

Madrid está debaixo de cerco por todos os lados, muitos militares desistem, pois sabem que resistir debaixo da égide do Carlismo é ser esmagado, pois o vórtice do poder político na Península, que é Portugal, está ocupado pelo Liberalismo. Mesmo assim Requetés e Terços da Falange não desarmam e combatem quase em tom de cruzada contra as forças liberais.

A Junta de Vigo, é aceite unanimemente como a legítima "Representante do Governo da Espanha", já decretou a extinção do Novo Decreto da Nova Planta, para os liberais espanhóis.


_________________
avatar
Portugal

Número de Mensagens : 3627
Capital : Lisboa/Madrid
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Sua Alteza Real D. Afonso VIII de Portugal, XIV das Espanhas
Data de inscrição : 18/01/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Portugal em Ter Set 06, 2011 12:33 pm

Madrid está completamente cercada... O estado secessionista do "Reino das Espanhas" não passa de uma sombra, e apenas existe para os Carlistas e Falangistas (agora coligados para tentar rapinar ou pelo menos partilhar o poder) pois mais ninguém no mundo o reconhece. Cercados, os Requetés cometem actos de loucura total. Madrid está a ser um espinho para os Constitucionais, e Lisboa parece estar muito forreta em enviar mais meios, pois quer ter o exército calado nos quartéis.

Vive-se uma atmosfera de profundo fanatismo religioso, já que Madrid tem grande número de tropas fieis ao Carlismo, e quase todos os Terços de Requetés da Espanha. Os requetés optaram por uma via suicida, de defender Madrid até ao último homem. O velho Carmona foi assistir aos combates no seu ver:

"Nunca vi tanta determinação e fanatismo na minha vida... Isto é pior que a tomada de Berlim em 1945 pelas tropas portuguesas auxiliadas pela aviação, artilharia e blindados britânicos. Os nazis de Ulrich, combatiam até ao penúltimo cartuxo... Depois vendo que seriam capturados muitos suicidavam-se com o último cartuxo. Os Carlistas... Horrível, é de um fanatismo religioso tal, disparam tudo, e sem balas tentam atacar corpo-a-corpo as tropas constitucionais, sabendo que irão morrer! Isto é quando não andam com cargas explosivas no corpo... Nunca vi gente assim tão demente, ou então serei eu demasiado covarde, ou demasiado lúcido pela idade... Sugeria uma bomba de hidrogénio em Madrid, mas evitai vossa alteza que a acusação recaia sobre vós e os seus. Faça com que ela expluda e se culpe o Carlismo. As razões já as dei, e acredite, quantos mais poupar, mais infernal será a vida na Espanha Liberal... Eles irão virar terroristas, assim como a Falange. A Falange, ainda se rendem, ou se suicidam, estes sem esperança fazem-se explodir pois no seu ver é Guerra Santa, e terão a salvação eterna. Ignore questões de religião, faça-o para o bem dos espanhóis, portugueses... e do mundo inteiro. O Carlismo cresce cada vez mais viciado, e mais perigoso... E perdoai-me majestade, se não o fizer, serei eu a fazer-lo. E Madrid está evacuada de civis, não se aflija, nisso tiveram eles ainda decência e moral cristã."

Era este o relatório de Carmona. O rei acedeu, tenebroso e medroso de um futuro negro... Agora caberia a operação de produzir a bomba. Só havia gente com capacidade de tal, os britânicos e a Umbrella Corporation para auxiliar os físicos da Universidade de Coimbra, Porto e Lisboa. Portugal sempre manteve uma recusa Histórica em usar bombas de destruição maciça, apesar de possuir a maior bomba nuclear do mundo, a Bomba do Apocalipse, que até há liberais a exigir o seu desmantelamento, assim como pressão por parte do Vaticano, e muita quase com ameaça de excomunhão e Anatema. Mas a Bomba do Apocalipse, é uma bomba atómica da década de 60, completamente baseada nos princípios das bombas atómicas americanas da década de 40, apesar de produzida na década de 60, e da constante manutenção. Nunca passou de uma mera arma de dissuasão á URS, apesar de ter capacidade para quase destruir o mundo completo, pelo menos devido ao facto da sua explosão alterar o eixo giratório da terra, e até mesmo poder provocar um desvio na trajectória da terra, coisa que iria mexer drasticamente com o clima mundial.

A bomba que se quer é uma moderna bomba de hidrogénio, que os físicos portugueses conhecem bem a teoria, mas não têm meios de fabrico devido ao facto de o Estado Português se recusar a produzir armas nucleares, sendo um estado pioneiro no mundo nessa matéria. Mas era necessária uma bomba pelo menos, para erradicar toda a vida de Madrid... Contactos por debaixo da mesa serão feitos com a Umbrella Corporation.



_________________
avatar
Portugal

Número de Mensagens : 3627
Capital : Lisboa/Madrid
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Sua Alteza Real D. Afonso VIII de Portugal, XIV das Espanhas
Data de inscrição : 18/01/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Portugal em Sab Set 10, 2011 11:35 am

Cada vez mais se declina a hipótese da bomba, mesmo que seja um engenho pequeno apenas com capacidade para arrasar Madrid. A nova ideia partiu do Coronel Pablo Moncho, comandante do 5º Batalhão de Voluntários Athaulphicos, que sugeriu o seguinte:

"Voçês sois o país que no mundo, mais armas químicas tem á sua disposição... Porra têm medo de os gazear todos?"

_________________
avatar
Portugal

Número de Mensagens : 3627
Capital : Lisboa/Madrid
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Sua Alteza Real D. Afonso VIII de Portugal, XIV das Espanhas
Data de inscrição : 18/01/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Britannia em Qua Set 14, 2011 9:24 pm

A Umbrella envia uma mensagem ao governo Português:

Actualmente no nosso arsenal temos a bomba de neutrões, que é capaz de aniquilar seres vivos sem destruir propriedade. Também temos um arsenal diversificado de armas químicas e biológicas do mesmo modelo usado pelo governo Britânico.
Para demonstrar a eficácia das novas armas gostaríamos de convidar membros das forças militares Portuguesas para assistir a uma demonstração do novo armamento no nosso centro de desenvolvimento em Trópico.
occ: Se estiveres interessado diz para eu abrir o tópico da demonstração.
avatar
Britannia

Número de Mensagens : 7778
Idade : 29
Capital : Camelot
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Interregno
Data de inscrição : 31/07/2008

Ver perfil do usuário http://www.nationstates.net/greenaldia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Portugal em Sex Set 16, 2011 12:56 pm

O Governo Português arquiva a proposta da Umbrella, mandando um "indeferido" á empresa.

Contudo, os ventos da revolução estavam longe de ser pacíficos. Os Liberais detinham os meios do poder e os meios de repressão violenta (Forças Armadas), contudo largos sectores da opinião pública pendiam relutantemente para os "Integralismos", o caso em Portugal era o de Trás-os-Montes, Minho e Beira Alta, e em Espanha... Castela, Leão e Astúrias estavam literalmente do lado dos Carlistas. A Galiza, estava dividida entre apoiantes do Carlismo e apoiantes do Liberalismo.

No Oriente a parada sobe de tom. Há um antagonismo notório entre D. João e D. Afonso de Vilhena, o ex-Vice Rei. D. João pede para ser emitido um mandato de captura contra D. Afonso de Vilhena, por "crimes políticos" e "actividades subversivas que poderiam colocar em risco a vida e bens dos cidadãos".

Acabaria a sequela do Neo-Liberalismo na Península, para começar no Oriente...

_________________
avatar
Portugal

Número de Mensagens : 3627
Capital : Lisboa/Madrid
Regime Politico : Monarquia Constitucional
Chefe de Estado : Sua Alteza Real D. Afonso VIII de Portugal, XIV das Espanhas
Data de inscrição : 18/01/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Pronunciamento do Pilar

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum